Aqui são edições, selecionadas pela owner/fundadora do grupo Amor em Palavras em 30 de março de 2004,também pode haver edições de grupos amigos.

quinta-feira, 27 de junho de 2013



Quero falar do Amor
Graça Ribeiro


Quero falar do amor
com a fúria plena do corpo sentindo desejo
tomado pela sedução do olhar e pelo toque
dos lábios em meus sonhos azuis oceânicos.


Quero falar do amor
nascido no calor à margem de um verso
e todas as palavras no silêncio da frase
aconchegada no colo do sol deste mundo


Quero falar do amor
êxtase da essência do que eu mais quero
enquanto a noite abraça a pérola oculta
e o mundo esquece as luas que a noite traz


Quero falar de ti, razão do meu desatino,
senhor do meu destino, audácia insensata,
meu grito no escuro. Nostalgia da metáfora


Quero falar de ti que me virou pelo avesso
mostrou o motivo para ir além do provável
inverteu sentido no prazer pleno do tempo


O exato tempo do desejo saborear o gozo
da implosão de um templo sem palavras



Quero falar deste amor
que devora entrelinhas na minha boca
toma sementes de água no meu corpo
escuta a voz da poesia nos meus sonhos


Quero sentir amor.... para sempre ...agora.
Ao falar de ti... AMOR

Graça Ribeiro


Uma virtude inestimável




 
Nossa concepção de tempo
muito tem a ver
com o estado de ansiedade
que nos encontramos.
 
Assim,
uma hora pode parecer
uma eternidade
e alguns momentos de felicidade
podem se evacuar como
se o relógio se apressasse
dez vezes mais.
 
Quem quer parar o tempo
o vê passar entre
os dedos como a mais fina
areia e quem
quer ver correr o hoje
para chegar logo o amanhã
precisa acalmar
o coração.
 
Há coisas que não
controlamos e quaisquer
que forem nossas ansiedades,
cada minuto pega o
devido tempo para
ser percorrido.
 
O fruto colhido no devido
tempo e estação é muito
mais saboroso.
 
Quando esperamos,
sempre esperamos demais
no nosso ver.
 
Quando pedimos,
já queríamos que fosse
para ontem e nos esquecemos
que existe uma ordem
natural para todas as coisas.
 
As bênçãos de Deus não tardam...
elas chegam na hora
exata que devem chegar e o
que nos causa sofrimento
e agonia é a pressa de
querer ver resultados.
 
Se nos entregamos
inteiramente
aos cuidados de Deus,
sabemos que as promessas
que recebemos serão
cumpridas no tempo previsto,
não por nós,
mas por Aquele que
conhece o mais profundo
do nosso âmago e a mais pequenina
das nossas necessidades.
 
Descansar nas promessas
Divinas faz do nosso
dia-a-dia melhor,
nos torna serenos e exemplo
para aqueles que não
conseguem controlar
a ansiedade.
 
A fé nos sustenta,
alimenta nosso espírito
e nos faz agradáveis aos
olhos de Deus.
 
Esperar por uma promessa
pode ser a maior de
todas as provações,
mas bendito é aquele que espera,
não baixa a cabeça,
olha para a frente e confia.
 
Esse comerá do fruto da vitória,
pois cada estação nos
oferece o que ela tem de
melhor e a paciência é uma
virtude inestimável.
 
TEXTO: Letícia ThompsonARTE NA FIGURA: Nena

CANTINHO DA AMIZADE
 
 
INDICADO POR: João Paulo - Farroupilha/RS

Material enviado by Athy via e-mail, para o grupo Amor em Palavras




quarta-feira, 26 de junho de 2013

Balada del río Guadiana

María Sánchez Fernández



              El sol arranca destellos

              de quince espejos de plata;
              quince suspiros al viento
              que son cuna del Guadiana.

              ¡Ay, río! ¿dónde has nacido?
             - En las entrañas del agua.

             El aire las ondas mueve
             de quince gemas de agua;
             quince eslabones azules
             abren el mundo al Guadiana.

             ¡Ay río! ¿de dónde vienes?
             - De las entrañas del agua.

             El río se ha enamorado
             de una colina lejana
             y va riendo y cantando.
             ¡Cómo quisiera alcanzarla!

             ¿De dónde ese dulce canto?
             - De las entrañas del agua.

             El Guadiana se ha perdido
             por las llanuras doradas
             y una jara lo ha encontrado
             saltando en corrientes bravas.

             ¿Adónde vas tan ligero?
             - Yo soy agua y voy al agua.



Material enviado by Kassandra, para o grupo Amor em Palavras
 Kassandra é representante  oficial / internacional do grupo

segunda-feira, 24 de junho de 2013



AMATISTA

El nombre de la amatista (que procede del griego y significa - sin embriaguez- tiene su origen en la idea de que, si una persona llevaba un amuleto hecho con esta característica piedra violeta a una celebración o fiesta, quedaría protegida de la embriaguez. Esta extraña creencia hizo que la amatista fuera sumamente popular en la Antigüedad en Egipto y Grecia.

ARISTOTELES EXPLICA Así la misteriosa relación
entre esta atractiva gema y el estado de sobriedad.
Durante una orgia etílica, Dionisio, el dios del vino,
secuestro a una joven ninfa llamada Amatista con
la intención de gozarla. Ella rogo de inmediato a la
diosa de la caridad que la salvase y al punto quedó
transformada en una reluciente joya en las lubricas
manos de Baco.

Como es comprensible, este prodigio le despejo al
instante y le hizo sentir una honda vergüenza. Para
expiar sus culpas, dio a la reluciente piedra el vello
color violeta pálido de su vino preferido y juro que,
a partir de ese día todo aquel que llevase esa
piedra estaría protegido de sus modales de
borracho

Una explicación totalmente distinta y mucho
menos fantástica es la que ofrece otra antigua
leyenda, que habla de un intento de envenenamiento.
El veneno mortal se colocó en una copa hecha de
amatista y cuando la victima a la que iba dirigido
bebió de esa copa, el veneno no surtió efecto.
Se llego después a la conclusión de que la persona
que entrase en contacto con la amatista seria
inmune a los efectos de cualquier bebida.

La capacidad mágica de absorber el alcohol del
torrente sanguíneo es solo uno de los muchos
poderes ocultos de la amatista. En sus otras
capacidades es conocida en distintas culturas
por diversos nombres, como la piedra del obispo,
piedra caritativa, elevador, piedra de la curación,
piedra de la paz y piedra del amor. En su papel
de elevador, debería prevenir la perdida de energía.

Como piedra de la curación, se supone que protege
contra la debilidad en el sistema inmunitario.
Las personas mas crédulas afirman también que
si se lleva en el cuerpo protege contra la neuralgia,
los coágulos de sangre y el cáncer. En su condición
de piedra de la paz, se piensa que defiende contra
el estrés y la violencia, calma los temores, cura la
histeria y, poniéndola en la cama, derrota el insomnio.
En siglos anteriores se decía también que defendía
a su portador de los ladrones.

Como piedra del amor- san Valentín la lleva
constantemente, según se dice- tiene fama de ser
uno de los mejores regalos entre amantes.
Desmond Morris
Aixia dende Galiza
2013

Material acima enviado para o grupo by Asun Carretero 









Galicia, terra meiga
Ao redor das fogueiras a simbologia encontra sua máxima expressão, meio ao fogo se canta, dança-se, come-se e sobretudo se bebe. Ritos e tradições, crenças e crendices se entremezclan nesta noite mágica, na que o fogo, símbolo purificador e protetor, converte-se no protagonista. Salta-se acima das fogueiras ao grito de meigas “fóra” para espantar os maus espíritos. Desfruta-se da festa através da gastronomia, daí que sejam tão populares as “sardiñadas” e churrascadas populares, bem como a degustação de chorizos e vinho do país, arrematando-se com a típica "Queimada e o consiguiente conxuro", para afastar os males e afugentar os maus espiritus.
 
São especialmente famosas as Festas de San Juan da Coruña, capazes de reunir nas praias de Riazor e Orzaán a mas de cem mil pessoas, declarada Festa de Nacional.

Habelas Hainas 
Existem numerosas tradições e lendas que fazem desta noite, a noite mais mágica do ano: Espantar às meigas, ramo de San Juan, banho em media noite para cumprir o rito purificador do banho das nove ondas.
---------------------------------------------------------------------
Ritos e tradições, crenças e crendices se misturam em Galícia durante a noite do 23 ao 24 de junho. E é que a memória coletiva da Terra “Meiga” tem acumuladas histórias vivas, muitas delas conservadas graças à tradição oral e às festas que se transmitiram de geração em geração e que hoje gozam da urgência de próprios e estranhos. …Contam as lendas que, quando se põe o sol que alumia o dia do 23 de junho, as “lareiras” das bruxas se convertem em improvisados laboratórios onde potes, ungüentos e conjuros se misturam em combinados conjuros e como preâmbulo de seu vôo noturno.

Mas também “hailas” que decidem receber o solstício ao amparo dos morros, numa barca que sulca o mar ou em reuniões em descampados, grutas, rios e riachos, bem como em campos despejados. Daí que até no lugar mais recôndito de Galícia se acenda uma fogueira como símbolo purificador e protetor. É o fogo que, uma vez feito brasas, salta-se ao grito de Bruxas “fóra” com o fim de afastar os males que possam avecinarse. 

É, pois, ao redor de uma fogueira onde a simbologia encontra sua máxima expressão e presença popular: reunidos em torno do fogo, canta-se, dança-se, come-se e se bebe com o fim de afugentar aos maus espíritos.

 Kassandra é representante oficial / internacional do grupo Amor em Palavras
Kassandra enviou o material acima para o grupo.




domingo, 23 de junho de 2013

Pó de estrelas 

by

Eugénio de Sá - ( Portugal )




Noite límpida esta que fito deslumbrado
E as constelações enfeitam-me o olhar
Cassiopeia à direita, Scorpio d’outro lado
Vejo o Cruzeiro do Sul ali mesmo a brilhar


Qual visão sobreposta foca-se a tua imagem
Nas estrelas que apontam o teu doce caminho
Desse lado do mundo onde tu és miragem
Neste lado da vida onde ainda há carinho


Procuro nas estrelas uma resposta à dor
Pergunto a Sirius, questiono Alfa Centauri
Mas não leio sinais que me tragam o amor
Nem ouço ecos no céu que me falem de ti


Só o pó das estrelas de uma estrela cadente
Pode testemunhar esta tristeza
Que encontra fundamento no silêncio eloquente
Negando-me aos sentidos sentir tanta beleza









Gente Minha!
Tudo bem?
 
Tenho inúmeros "e-mails" para responder.
Antecipadamente, agradeço pelas mensagens elogiosas ao meu 
fazer poético. Amanhã, começarei a responder.
 
Nestes últimos dias, ando observando, matutando, cá, com meus botões, 
sobre o grito do "Gigante" que, parece, renuncia à cômoda eternidade 
do "berço esplêndido"!
 
Sou um cara extremamente sensível e emotivo. 
A Vida e os fatos da Vida são feito holofotes muito potentes em 
minha cara. E este "Grito Verde-e-Amarelo" que sai às ruas - embora 
um tanto atrasado - significa muito para mim, pois, desde guri, 
em Bagé/RS, meu Torrão Natal, ouvia: "O Brasil é o país do futuro".
Hoje, encanecido em meus 68 anos, parece que o futuro está chegando. 
Como diria minha mãe: "Antes tarde do que nunca, João."
 
Amo minha Terra Natal. Amo este Garrão Gaúcho onde nasci. 
Amo este Brasil que é enorme e grandioso demais para ser 
saqueado, diuturnamente, e a "lei da impunidade" sempre em vigor. 
Aqui, acompanho o desenrolar dos acontecimentos... Será que 
o "Brado Retumbante do Povo" conseguirá Educação, Saúde, 
Segurança, Salário?? Será que essa "Voz" conseguirá dizer BASTA 
aos que fazem tudo o que bem entendem - como se fossem os donos 
da coisa pública, das nossas florestas, da nossa fauna, do nosso ar, 
das nossas águas, do nosso ir e vir, das nossas vontades?? 
Enfim, donos das nossas vidas?
 
Por tudo isso, escolhi a imagem acima com essa mensagem comovente. 
Porque só quem Ama, realmente, o Brasil, pode se dirigir desta forma 
carinhosa, familiar e esperançosa à sua Pátria!!
Era mais ou menos isso, meus compatriotas!
 
Com franciscano e verde-e-amarelo abraço!!
 
JJotaPoeta@
 
Porto Alegre, 18 de junho/2013.


O texto e imagens foram enviados by Eugénio de Sá - Portugal 



Santa Bárbara





Uma semana de mudanças para quem precisa de coragem, de novas 
forças para sair de muitos problemas, ou anda com medo 
de alguma situação.
Santa Bárbara é a força da natureza, já que ficou trancada em uma 
torre diante da Mata Virgem que a compreendia.
Rainha dos raios e trovões, domina a coragem e traz força para quem 
está passando por dificuldades.
Ainda não conhece essa força?
Venha conhecer através da semana de oração à Santa Bárbara.

*******

Santa Bárbara, que sois mais forte que as torres das fortalezas 

e a violência dos furacões, fazei que os raios não me atinjam, 

os trovões não me assustem e o troar dos canhões não me abalem 

a coragem e a bravura.

Ficai sempre ao meu lado para que possa enfrentar de fronte erguida 

 e rosto sereno todas as tempestades e batalhas de minha vida, para que, 

vencedor de todas as lutas, com a consciência do dever cumprido, possa 

agradecer a vós, minha protetora, e render graças a Deus, criador do 

céu, da terra e da natureza: este Deus que tem poder de dominar 

o furor das tempestades e abrandar a crueldade das guerras.

Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

mensagem enviada para o grupo by Rosália Moraes


CLAMOR SOCIAL: 
O CLÍMAX E A INDIFERENÇA DOS GOVERNANTES 
Divaldo Franco
JORNAL A TARDE


Salvador/BA. CEP: 41.820 - 570
Qui , 20/06/2013 às 10:58 | Atualizado em: 20/06/2013 às 10:58

Quando as injustiças sociais atingem o clímax e a indiferença dos 
 governantes pelo povo que estorcega nas amarras das 
necessidades diárias, sob o açodar dos conflitos íntimos e do 
sofrimento que se generaliza, nas culturas democráticas, as 
massas correm às ruas e às praças das cidades para apresentar o 
 seu clamor, para exigir respeito, para que sejam cumpridas as 
promessas eleitoreiras que lhe foram feitas...

Já não é mais possível amordaçar as pessoas, oprimindo-as 
e ameaçando-as com os instrumentos da agressividade policial 
e da indiferença pelas suas dores.

O ser humano da atualidade encontra-se inquieto em toda parte, 
recorrendo ao direito de ser respeitado e de ter ensejo de viver 
com o mínimo de dignidade.

Não há mais lugar na cultura moderna, para o absurdo de 
governos arbitrários, nem da aplicação dos recursos que são 
arrancados do povo para extravagâncias disfarçadas de necessárias, 
enquanto a educação, a saúde, o trabalho são escassos ou 
colocados em plano inferior.

A utilização de estatísticas falsas, adaptadas aos interesses 
dos administradores, não consegue aplacar a fome, iluminar a 
ignorância, auxiliar na libertação das doenças, ampliar o leque 
de trabalho digno em vez do assistencialismo que mascara os 
sofrimentos e abre espaço para o clamor que hoje explode no 
País e em diversas cidades do mundo.

É lamentável, porém, que pessoas inescrupulosas, arruaceiras, 
que vivem a soldo da anarquia e do desrespeito, aproveitem-se 
desses nobres movimentos e os transformem em festival de destruição.

Que, para esses inconsequentes, sejam aplicadas as corrigendas 
previstas pelas leis, mas que se preservem os direitos do cidadão 
para reclamar justiça e apoio nas suas reivindicações.

O povo, quando clama em sofrimento, não silencia sua voz, 
senão quando atendidas as suas justas reivindicações. 
Nesse sentido, cabe aos jovens, os cidadãos do futuro, 
a iniciativa de invectivar contra as infames condutas... 
 porém, em ordem e em paz.

* Divaldo Franco escreve às quintas-feiras, quinzenalmente
* * *
---------------------
"Neste tempo aqui, não se discute de uma troca parcial de uma 
renovação limitada a um sítio, a um povo, a uma raça; é um 
movimento universal que se opera no sentido do progresso moral. 
Uma nova ordem de coisas tende a se estabelecer, e os homens 
que o sejam os maiores opositores aí trabalham por seu 
 desconhecimento; a geração futura, desembaraçada das escórias 
do velho mundo e formada de elementos mais depurados, 
encontrar-se-á animada de ideias e sentimentos distintos dos 
que a geração presente que se vai a passos de gigante. 
 O velho mundo estará morto e viverá na História como 
atualmente os tempos da idade média, com seus costumes 
bárbaros e suas crenças supersticiosas.

De resto, cada um sabe que a ordem das coisas atuais deixa a 
desejar; após ter de alguma sorte, esgotado o bem-estar 
material que é o produto da inteligência, chega-se a 
compreender que o complemento deste bem-estar só 
pode estar no desenvolvimento moral. Quanto mais se avança, 
mais se sente o que falta, sem, entretanto poder ainda defini-lo 
claramente; é o efeito do trabalho íntimo que se opera pela 
egeneração; tem-se desejos, aspirações que são como o 
pressentimento de um estado melhor."
Allan Kardec, in A Gênese, Cap. XVIII, Sinais dos Tempos, item 7.

---------------------



Com esta mensagem eletrônica
seguem muitas vibrações de paz e amor
para você
http://br.groups.yahoo.com/group/aeradoespirito/

---------Portal A ERA DO ESPÍRITOhttp://www.aeradoespirito.net/


Planeta ELIO'S (Temas Espíritas)
http://emollo.blogspot.com.br/






 
APRENDI A NÃO CHORAR!
 
Ary Franco (O Poeta Descalço)

 
 
Quando a noite chega e o luar vem me abraçar,
Na solidão, só tenho as estrelas pra contemplar.
Uma brisa fresca rasga o silêncio. Que frio sinto
Faço da saudade minha amiga por puro instinto!
 
Quanto meu coração necessita desabafar,
Mas as palavras morrem em meu peito.
Mesmo se as dissesse, para quem falar?
Suporto tudo, mas não haverá outro jeito?
 
 Lanço a pergunta à uma estrela cadente.
Nada responde e desaparece indiferente.
A dama da noite sopra-me seu doce olor.
Faz-me recordar aquele meu antigo amor.
 
Ainda bem que aprendi a não chorar.
Já de há muito minhas lágrimas secaram.
Agora é tarde para um novo começar.
Restaram-me tristezas, alegrias acabaram!
 

 
Um pensamento:
Se algum dia fizeres alguém chorar,
que o seja de alegria ou por saudades de ti!




  Dom Quixote



     Minha rosa, minha flor
     Meu pé de jacarandá
     Meu arco iris de vento
     Um cheiro de manacá

     Olhos de águas marinhas
     Silencio perguntador
     Preciso andar pela tarde
     Ir de encontro ao amor

     Antes que eu faça promessas
     De domar muitos leões
     Mover moinhos de vento
     Com a venta de dois dragões

     Preciso ai, da coragem
     Das tuas mãos pequeninas
     Da paz guardada no colo
     E o modo que me iluminas


     Jose Balbino de Oliveira
     www.macacosecolibris.com